quarta-feira, 28 de abril de 2010

O que aconteceu com Donkey Kong? (Parte 3)



Donkey Kong 64 (Rareware, Nintendo 64) - Lançado em 24 de Novembro de 1999, depois de um "hiato" de 1 ano e meio sem lançar um novo título para o Nintendo 64, a Rare lançou Donkey Kong 64, que seria o maior e mais completo jogo da série já lançado até hoje. Ele também foi o primeiro jogo que fez o uso obrigatório do Cartucho de Expansão de Memória do Nintendo 64, que melhorou significadamente o gráfico do jogo em relação aos lançamentos na época.

O 2D foi totalmente esquecido, dando lugar a modelos gráficos 3D muito parecidos aos vistos em Banjo Kazooie e também apareceram novos personagens, 5 no total, aonde cada um tinha uma habilidade exclusiva que era necessária para avançar no mapa do jogo.

Esses personagens eram: Donkey Kong, Diddy Kong, Tiny Kong, Lanky Kong e Chunky Kong. Cada um tinha uma especialidade: pular mais alto, correr mais, força, atributos que durante o jogo eram usados para alcançar as áreas distintas da Ilha.

A história:  King K. Rool, o vilão da série, está tentando destruir as Ilhas D.K. com uma arma laser gigante chamada Blast-O-Matic, mas devido há alguns problemas técnicos depois de uma queda que deixou a arma "boiando" perto das ilhas, ele tenta ganhar algum tempo pra tentar conserta-la sequestrando alguns parentes de Donkey Kong e também rouba as preciosas bananas de ouro de Donkey Kong. A medida que Donkey Kong vai libertando seus amigos/parentes, eles o ajudam na aventura para expulsar os Kremlings pra fora da ilha.

É um jogo longuissimo: para se fazer 1% do jogo pode-se demorar até 1 hora, fazendo com que o jogo tenha no minimo 80h de duração se você já souber o que fazer desde o começo. São muitos lugares da ilha pra se explorar, vários mini-games e até alguns arcades clássicos da Rare/Nintendo como Jetpac (Rare) e Donkey Kong (Nintendo) fazem uma aparição no jogo.


Seguem algumas screens e videos do jogo:





E esse foi o último jogo de Donkey Kong produzido pela Rare. Como citado anteriormente, em 2002 ela passou a produzir jogos exclusivamente para a Microsoft e a Nintendo não mais emprestou os direitos das séries Star Fox e Donkey Kong para a mesma produzir, tendo ela ficado com os direitos apenas de suas séries originais (Banjo Kazooie, Perfect Dark, Jet Force Gemini...), sendo assim, a partir de 2003 a Nintendo voltaria à produzir os jogos da série Donkey Kong.

Ótimo, não é mesmo? E-R-R-A-D-O. Ao contrário da RARE, que produzia os jogos com personagens infantis mas fazia com que os mesmos fossem bem longos, dificeis e legais de jogar, a Nintendo faria com que a série fosse voltada a crianças de 3 à 10 anos.



Donkey Konga (1-2-3 / 2003-2004-2005 / Gamecube) - Sendo assim, em Dezembro de 2003 a Namco, sob pedido da propria Nintendo, lançou para Gamecube um novo Donkey Kong (leia-se Donkey Konga), mas não seria um jogo convencional de aventura e sim um jogo músical aonde se jogava com um par de bongos conectado ao console.

Era mais no estilo "Dance Dance Revolution" de ser: passava o comando na tela e você tinha que repetir o comando igualmente no bongo. Em 2004 e 2005, respectivamente, também foram lançados Donkey Konga 2 e 3 (sendo o 3 lançado apenas no Japão) no mesmo estilo: várias músicas para se jogar com o bongo.


Algumas imagens e videos dos 3 jogos da série Donkey Konga para Gamecube:





Ai agora você se pergunta: um jogo com BONGOS??? Eis aqui uma imagem dele e logo embaixo darei uma explicação de como ele funciona:



Ali no meio, vemos o botão "Start". Nele também vinha um microfone imbutido, aonde ele seria mais usado no próximo jogo que falaremos a seguir e os 2 Bongos como citado, esquerdo e direito. Isso conectado ao Gamecube era usado para jogar os jogos da série Donkey Konga e também...



Donkey Kong Jungle Beat (2004 / Gamecube; 2009 / Wii); não apenas satisfeita com jogos músicais da série, a própria Nintendo japonesa produziu um jogo de aventura básico aonde se usa obrigatoriamente os bongos para movimentar o personagem. Uma pequena explicação dos comandos no jogo: o Bongo esquerdo era usado para movimentar o personagem para a esquerda, assim como o da direita o movimentava para a direita, apertando os dois ao mesmo tempo o personagem realiza um pulo e batendo na lateral do bongo ou uma palma perto do microfone o personagem realizada um ataque.

Com isso você se pergunta: "Legal, não? Um jogo criativo que usa um controle diferente pra movimentar o boneco, deve ser no minimo bom." Mais ou menos isso. Não me leve a mal: o jogo é bom sim, é que na verdade, lá no fundo você desejaria jogar esse jogo no controle convencional e não nos bongos. Não que eles sejam ruins, é que o uso deles limita muito o jogo.

Em 2009, saiu para Wii sob o selo "New Play Control" com algumas pequenas mudanças na jogabilidade, tais como o ataque não pegava para todos os lados como no Gamecube, mas sim você tinha que apontar para que lado queria que o ataque fosse feito e ele só acerta naquela direção,a barra de life não era mais representada por "batidas" mas sim uma barra convencional como em um jogo de plataforma arcade e também trouxe alguns novos estágios, assim como modificações nos antigos.


Segue abaixo algumas screens e videos das versões:






E pensam que acabou por ai? Não não não, amiguinhos. Em 2004 e 2005, respectivamente, também foram lançados jogos de Donkey Kong para o Gameboy Advance. Também não foram feitos pela Nintendo, mas feito sob encomenda. Vou falar brevemente dos dois:



Mario vs Donkey Kong (NST, Gameboy Advance); Eis que a NST decidiu trabalhar num estilo mais clássico da série: voltou as origens do Arcade, mas dessa vez com uma história diferente. Donkey Kong dessa vez "assaltou" a fábrica de Minis, os brinquedos Mario (ou alguma coisa do tipo, não explicam muito bem isso no jogo) e Mario tem que passar por vários estágios até recuperar todos eles.


Alguma screens e videos do jogo:






Jogo recebeu notas boas e até que não é tão ruim, mas acho que esse jogo está muito mais focado em Mario que no próprio Donkey Kong, por isso talvez esse seja considerado mais um titulo da série Mario do que Donkey Kong propriamente dita.



DK: King of Swing (Paon, Gameboy Advance); outros desses jogos feitos para crianças, King of Swing nada mais é um jogo em que você apenas percorre plataformas presas no "ar" e alguns cipós para levar Donkey Kong de um ponto "A" até o "B". Bem repetitivo e curto, acho que esse jogo não mostrou nada de muito inovador, apenas outro jogo casual para crianças.


Seguem algumas imagens e videos do jogo:





Bem, esse é o fim da parte 3. Como vocês poderam constatar, depois que o jogo parou de ser produzido pela RARE ele deu uma decaida enorme em todos os quesitos. Podem notar também que eu nem sequer falei muito do roteito desses ultimos jogos, é algo tão "besta" que passa despercebido e não é algo que você se sinta interessado a correr atrás pra entender melhor por conta da qualidade baixa dos jogos.

Na próxima parte irei terminar o post de Donkey Kong e começarei algo novo, tem algumas coisas que ainda valem a pena mencionar e eu não posso deixar batido...

Por hoje é só... Sigam-me os bons!! o/

2 comentários:

  1. Muito legal esse "tour" pela serie DK, cheguei a ter o Donkey Konga + Bongos, é bem divertido mas enjoa facil demais! queria mesmo era jogar o jungle beat.

    ResponderExcluir
  2. Eu também queria saber aonde foi que a Nintendo estava com a cabeça quando passou a licensa da série para a Namco fazer esse Donkey Konga... Tudo bem que as músicas da série são memoráveis mas eu acho esse jogo muito ruim cara!

    O Jungle Beat é até legal, mas eu te digo: é melhor no Wii que os movimentos são mais fáceis e cansam menos...

    ResponderExcluir