quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Sonic the Hedgehog CD


Sonic the Hedgehog CD (Sonic Team, Sega CD) - Lançado em 23 de Setembro de 1993, é um jogo de plataforma desenvolvido pelo Sonic Team e publicado pela Sega originalmente no Sega CD e portado para outras plataformas em anos seguintes. O jogo foca em Sonic em sua infiltração em um planeta mecanizado que uma vez já foi pacífico. Dr. Robotnik está utilizando as habilidades de viagem no tempo para fazer o seu próprio quartel general no planeta.

Metal Sonic também tem sua parte na história: ele captura Amy Rose, a "namorada" de Sonic. Ele deve viajar através do tempo para salvar Amy, estragar os planos do Dr. Robotnik e trazer paz à este mundo.



Jogabilidade

As mecânicas de Sonic CD não fogem muito dos jogos anteriores, mas trás pequenas novidades. O objetivo aqui é coletar as 7 Time Stones (pedras do tempo) e derrotar a ameaça do Dr. Robotnik. No seu caminho, Sonic deve coletar anéis, que o protegem de danos causados por um inimigo ou obstáculo, assim como itens que incluem escudos, invencibilidade e sapatos de velocidade.

A jogabilidade se manteve similar ao primeiro Sonic the Hedgehog, porém com a adição do Spin Dash e o Super Peel Out, que permite que Sonic ganhe velocidade rapidamente parado no mesmo lugar, seja correndo ou em posição de rolamento. O Super Peel Out é mais rápido do que o Spin Dash, mas ele deixa Sonic mais vulnerável. Cada uma das 7 fases do jogo são divididas em 3 "zonas", 2 principais e o confronto com o chefe.

A grande novidade que deixa Sonic CD diferente de seus antecessores é o sistema de viagem no tempo, que permite Sonic viajar em diferentes periodos de tempo dentro das fases. Ao passar por placas que tem escrito "past" ou "future" e depois mantendo uma velocidade alta constante por alguns segundos, Sonic viajará para as variantes do passado, presente ou futuro da fase. Esse recurso está disponível nas duas primeiras zonas, as batalhas contra os chefes sempre acontecerá no futuro.

Cada fase tem 4 variantes em cada zona ("passado", "presente", "futuro bom" e "futuro ruim"), cada uma contendo gráficos diferentes, música e layout diferente de plataformas, inimigos e obstáculos. Por padrão, viajar para o futuro levará Sonic para o "futuro ruim", uma dispotia industrializada com o cenário tematizado em negligência e decadência, com os inimigos mostrando sinais de degradação.

Portanto, os jogadores são encorajados à converter cada zona em um "futuro bom": uma utopia tecnologica no qual a tecnologia e a natureza estão simbolicamente fundidas em um ambiente sustentável e colorido, no qual não há nenhum inimigo robô. Se Sonic conseguir viajar para o passado nas duas primeiras zonas e destruir o "gerador robô" escondido, a batalha contra o chefe vai se passar no futuro bom.

Similar ao primeiro jogo, se Sonic estiver carregando 50 ou mais anéis durante o fim da fase, um anel gigante irá aparecer e levará Sonic para um Estágio Especial se ele pular dentro dela. Em um plano tridimensional, Sonic tem um certo tempo limite para destruir vários OVNIs roxos que estão sobrevoando o estágio. O tempo é reduzido rapidamente se Sonic cair na água, porém se ele destruir um OVNI azul que sempre aparece quando o tempo está acabando, ele recupera alguns segundos.

Se Sonic destruir todos os OVNIs antes do tempo acabar, ele ganhará uma Pedra do Tempo. Um final bom é obtido ao coletar todas as 7 Pedras do Tempo ou conseguindo obter o futuro bom em todas as fases. Também pode-se obter o futuro bom em todas as fases caso já se tenha obtido todas as Pedras do Tempo.

Sonic CD utiliza um sistema de "save" utilizando a memória interna do Sega CD ou um cartucho de backup de memória. O jogo salva automaticamente no final de cada fase e os melhores tempos do jogador no modo Time Attack. No Remake de 2011, o jogo é salvo no final de cada zona. O jogo também apresenta um sistema de "game over" instantâneo: se o jogo não for pausado e for deixado de lado por 3 minutos, Sonic pulará para fora da tela.


História

Metal Sonic se tornaria um personagem marcante na série Sonic.

Sonic chega ao "Never Lake" aonde o mítico Little Planet (também conhecido como Miracle Planet) é dito aparecer no último mês de cada ano. Sonic chega lá para descobrir que o planeta foi "acorrentado" à uma montanha por uma corrente totalmente mecanizada. Sonic então se dá conta de que isso é trabalho do seu arquiinimigo, Dr. Robotnik, que chegou a essa ilha e transformou-a em uma fortaleza gigante.

Depois de descobrir a presença de Sonic na olha, Dr. Robotnik envia Metal Sonic para capturar a jovem ouriço chamada Amy Rose, que seguiu Sonic até o planeta mítico. Sonic deve coletar as Pedras do Tempo, que são 7 jóia capazes de alterar a própria passagem do tempo.


Desenvolvimento

Seguindo o lançamento do primeiro Sonic the Hedgehog, o Programador-Chefe Yuji Naka ficou descontente com as rigidas políticas corporativas da Sega e se mudou para os Estados Unidos para trabalhar no estúdio "Sega Technical Institute" junto com vários membros do Sonic Team, para desenvolver Sonic the Hedgehog 2. Enquanto isso no Japão, um time de desenvolvimento liderado por um dos criadores de Sonic Naoto Oushima, cuidou do desenvolvimento de Sonic CD.

Esse jogo e Sonic 2 eram inicialmente o mesmo, mas durante o seu desenvolvimento Sonic CD evoluiu em um jogo totalmente diferente. Esse é o primeiro jogo da série que contém cutscenes animadas, que foram produzidas pela Toei Animation em parceria com o Studio Junio.


Música

Capa do CD lançado com as músicas do jogo no aniversário de 20 anos da série Sonic em 2011.

Há 2 trilhas sonoras para o jogo, uma usada para a versão japonesa e européia e outra completamente utilizada na versão norte-americana do jogo, que depois foi utilizada em relançamentos da versão européia. A versão japonesa foi composta por Naofumi Hataya e Masafumi Ogata e apresentava algumas da Keiko Utoku. As músicas foram chamadas de "Sonic: You Can Do Anything" (também conhecida como "Toot Toot Sonic Warrior", composta por Mafasumi Ogata) e "Cosmic Eternity: Believe in Yourself" (composta por Naofumi Hataya). A tema dos chefes é conhecida por samplear a música "Work That Sucker To Death" que é tocada pelos artistas Xavier, Bootsy Collins e George Clinton.

A versão norte-americana foi adiada por alguns meses pra ter uma nova trilha sonora composta por Spencer Nilsen, David J. Young e Sterling Crew. Todas as músicas (com excessão dos temas do "passado", que estavam sintetizadas em PCM Audio ao invés de Red Book CD-DA) foram substituidas, e as músicas tema foram substituidas por "Sonic Boom", que foi tocada pelo grupo Pastiche (formado pelso integrantes Sandy Cressman, Jenny Meltzer e Becky West). A música "You Can Do Anything" tinha aparecido anteriormente na versão 8-bit de Sonic 2, lançado em 1992 no Master System e Game Gear.

No relançamento de 2011, Sonic CD trouxe a trilha sonora japonesa/européia consigo. Mesmo que a inclusão da trilha sonora americana fosse incerta devido a problemas de licenciamento, depois foi revelado que ela estaria no jogo, com a opção de escolher qual trilha você gostaria de ouvir durante o jogo. Entretanto, ambas "Sonic: You Can Do Anything" e "Cosmic Eternity: Believe in Yourself" foram substituidas por versões instrumentais devido aos direitos da letra da música que pertenciam à Casey Rankin, que morreu em 2009.

No aniversário de 20 anos da série Sonic, um CD com a trilha sonora foi lançado no Japão em 23 de Novembro de 2011 e apresentava versões remasterizadas da trilha sonora japonesa/européia, assim como a inclusão de "Sonic Boom" e remixes especialmente feitos por Cash Cash, Jun Senoue e Crush 40.


Versões Alternativas e Ports

Sonic CD foi portado para PC em CD-ROM em 1996, marcando a estréia de Sonic nos computadores sob a marca "SEGA PC". Essa versão foi lançada no Japão em 9 de Agosto de 1996, nos Estados Unidos em 26 de Agosto de 1996 e na Europa em 3 de Outubro de 1996 - seguido de lançamentos no Brasil e Oceania também. Essa versão contém todas as cenas em FMV e todas as versões, incluindo a japonesa, utilizam a trilha sonora norte-americana. Um erro nessa versão fez com que as fases especiais rodassem no dobro da velocidade no qual elas deveriam.

Esse port é compatível apenas com versões antigas do Windows, porém alguns fãs lançaram patches não-oficiais que o faz rodar em versões mais recentes.

Em 2005, Sonic CD foi incluido na coletânea "Sonic Gems Collection" que foi lançada para o Gamecube e o PlayStation 2. O jogo é um port da versão PC com alguns melhoramentos no que se diz respeito ao frame rate do jogo e a velocidade (sem slowdowns ou quedas no frame rate), porém contém alguns pequenos erros de emulação.

Por ser um port da versão PC, o jogo continha vários erros consideráveis de falhas gráficas como "buracos" no cenário de fundo da zona 1 de Palmtree Panic no futuro ruim; a falta de cor na água da fase Tidal Tempest; os cristais da fase Quartz Quadrant estarem na camada errada; o teto da fase Wacky Workbench está distorcido; a iluminação estática da fase Stardust Speedway está invertida e finalmente, camadas faltando nos estágios especiais.

A versão do PS2 ainda fez a rotação do planeta no modo "Play Music" inoperável devido a erros no layout de botões. Enquanto a versão japonesa ainda utiliza a mesma trilha sonora original, a versão européia utiliza a trilha sonora norte-americana. Essa versão também incluiu versões em maior qualidade da intro e finais do que as presentes no Sega CD, porém o final dá algumas travadinhas em alguns pontos.

Em 23 de Agosto de 2011, um post no blog do funcionário da Microsoft Larry Hyrb listou Sonic CD como um título para Xbox Live Arcade e ele seria jogável na PAX Prime 2011. No dia 25 daquele mês, a Sega anunciou que estaria lançando o jogo também para a PlayStation Network, Windows (Steam), iOS, Windows Phone e Android. Esse port foi desenvolvido utilizando a "Retro Engine" criada pelo desenvolvedor independente Christian "Taxman" Whitehead.  Ele criou a engine como prova de um conceito do jogo rodando em um iPhone em 2009.

Essa engine permitiu que melhoramentos fossem feitos ao jogo, incluindo gráficos em widescreen e a opção de utilizar as físicas do Spin Dash de Sonic 2. Também era possivel habilitar Tails como personagem jogável. Esse port também trás ambas as trilhas sonoras japonesa e norte-americana e também um sistema de conquistas e troféis.

Essa versão foi lançada na Xbox Live Arcade e PlayStation Network no dia 14 de Dezembro de 2011, na AppStore e Android Market no dia 15 de Dezembro de 2011 e no Steam no dia 19 de Janeiro de 2012. A versão para Windows Phone chegou apenas em Novembro de 2012. Antes do lançamento do jogo, Tablets equipados com Android comprados na GameStop até Novembro de 2011 traziam o jogo inteiramente de graça já na memória. O jogo também saiu no Ouya em 27 de Junho de 2013.


Algumas Imagens e Videos do Jogo

Sega CD:





Android:



Windows Phone:



Recepção

A versão original para Sega CD é bastante aclamada, com um consenso de que o jogo é um dos melhores para a plataforma. O jogo foi elogiado pelo seu sistema inovador de viagem no tempo, gráficos e música. Mesmo com todo esse clamor critico e sendo um dos jogos mais vendidos da plataforma no Reino Unido, o jogo falhou em alcançar o sucesso comercial das versões anteriores de Sonic no Mega Drive devido ao fracasso comercial do Sega CD.

A revista Mega colocou Sonic CD em 3º lugar no seu "Top 10 Melhores Jogos de Sega CD de todos os Tempos". O jogo ganhou a premiação Melhor Jogo de Sega CD em 1993 pela EGM. Em Maio de 2009, a GamePro listou Sonic CD na sua lista "Top 20 Melhores Jogos de Plataforma: 1989 à 20009", colocando o jogo na 12ª posição. O site GamesRadar listou Sonic CD como o 68º melhor jogo de todos os tempos.

O relançamento de 2011 também recebeu várias analises positivas, com a versão do iOS em particular reunindo o maior clamor dos analisadores. Essa versão ganhou a nota 93 de 100 no Metacritic, se transformando na maior nota que Sonic já recebeu no site assim como a segunda maior nota dada pelo site para um jogo de iOS em 2011 (perdendo apenas para World of Goo); enquanto que as versões XBLA e PSN receberam notas 82 de 100 e 80 e 100, respectivamente.

A IGN gratificou o relançamento de 2011, dando nota 8.5 para a versão XBLA e 9.0 para a versão iOS. O site GamesRadar deu nota 9/10, mencionando que a versão do iPhone em particular é "inacreditável". Sonic CD alcançou o primeiro lugar nos jogos mais vendidos da PSN em Dezembro de 2011. Em Março de 2013 o jogo foi nominado e ganhou a categoria "Jogo para Windows Phone do Ano" na premiação Pocket Gamer Awards.


Legado

A história de Sonic CD foi adaptada nas edições 26 à 28 da revista em quadrinhos britânica da Egmont Fleetway, aonde Metal Sonic foi renomeado Metallix. A história do jogo também foi adaptada para a revista em quadrinhos de Sonic da Archie Comics em sua edição de número 25.

Dois personagens foram introduzidos no jogo, Amy Rose e Metal Sonic, que seriam utilizados novamente em futuros jogos da série Sonic. Metal Sonic apareceria como um vilão em Sonic Heroes (2003), assim como várias aparições em spin-offs da série. Ele reaparece como vilão principal em SOnic the Hedgehog 4: Episode II, uma vez que a história desse jogo tem conexões com Sonic CD. Amy Rose retornaria como personagem jogávem em vários jogos, entre eles Sonic Adventure, Sonic Heroes e Sonic Advance/Sonic-N.

Para o aniversário de 20 anos da série, a Sega lançou Sonic Generations, um jogo que recriou aspectos de vários jogos antigo da franquia. Nele, temos um remake da batalha contra Metal Sonic, que acontece no futuro ruim da fase Stardust Speedway. Na versão para Nintendo 3DS, a batalha se passa na fase Casino Night de Sonic 2, que teve seu design adaptado para o da fase Stardust Speedway.


Badniks

Palmtree Panic
Collision Chaos
Quartz Quadrant
Wacky Workbench
Metallic Madness




Galeria de Capas

Sem muitas surpresas, a capa da versão japonesa também utilizou o estilo Pop Art que consagrou a série por lá.
A capa da versão européia utilizava uma artwork única. Assim como no Japão, o console se chamava "Mega CD" ao invés de Sega CD que foi como o console chegou aqui nas Américas.
A capa da versão americana lançada pra PC era bem mais simples do que a original para Sega CD.
Adivinha que estilo de capa eles utilizaram para a versão japonesa que saiu pra PC? Pois é...
As versões européia e oceânica utilizaram várias capas diferentes dependendo do país que foram lançadas. Essa é a mais comum delas.


Manual do Jogo



*Manual e Artworks retiradas do link: http://soniczone0.com/games/soniccd/downloads/

Finalizando

Em Sonic CD se iniciou esse caso de amor que até hoje não foi resolvido entre Sonic e Amy Rose.

E por hoje é só. Embora não tenha alcançado o mesmo sucesso das versões Mega Drive durante o seu tempo, hoje em dia Sonic CD pode ser encontrado em praticamente todas as plataformas do mercado e eu recomendo fortemente que, se você é mesmo fã de Sonic e nunca jogou esse aqui, pegue ele o quanto antes porque você está perdendo um dos melhores jogos já criados para a série. O jogo não só faz uso de algumas situações inusitadas (e as vezes até bem chatas), como também tem visuais muito bonitos e uma trilha sonora excelente completa o pacote com chave de ouro.

Na semana que vem, eu volto pra falar de uma série de dança que fez um sucesso "rápido" no PlayStation mas acabou saindo no esquecimento depois do lançamento do PlayStation 2: estou falando de  "Bust A Groove"! Espero que vocês tenham curtido e voltem na semana que vem para curtir um novo post!

Sigam-me os bons! \o\~~~~~~

2 comentários:

  1. Bacana o texto, como sempre bem informativo.
    Engraçado que eu nunca me encantei muito com esse jogo, mesmo sendo muito fã de Sonic. Sei lá o que acontece, acho que o lance de viagem no tempo me incomoda. As fases não te deixam correr, são sempre muito cheias de obstáculos. Só que joguei apenas a versão HD pra PS3, não sabia desse esquema que fizeram pra rodar o jogo, bastante interessante a informação. Preciso dar outra chance pro Sonic CD, quem sabe eu mudo de idéia? A trilha sonora é realmente ótima, como a grande maioria dos jogos da franquia, né? :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sonic CD é aquela coisa: ame ou odeie. Geralmente os fãs desse jogo consideram ele o melhor Sonic "das antigas", enquanto os que jogaram mais os do Mega Drive passam longe dele porque ele é bem experimental. Dê pelo menos uma chance até o fim pra tirar uma conclusão melhor sobre ele, vale muito a pena!

      Excluir