quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Ninja Gaiden III: The Ancient Ship of Doom


Ninja Gaiden III: The Ancient Ship of Doom (Tecmo, NES) - Lançado no dia 26 de Junho de 1991, foi o terceiro capítulo da saga de Ryu Hayabusa, mas dessa vez a história não se passaria depois do segundo jogo, mas sim entre o primeiro e o segundo.

A decisão de fazer esse jogo uma prequel foi de Masato Kato, que tomou a direção da série no lugar de Hideo Yoshizawa, que foi o designer dos dois priemiros jogos. O estilo dos dois é bastante diferente e os jogadores mais assíduos da série puderam reparar as diferenças logo nas primeiras fases do jogo - e nem todos gostaram dessas mudanças.

Para começar, Masato Kato fez com que o jogo ficasse muito mais fácil do que os outros, numa tentativa de cativar novos fãs para a série sendo que o jogo era conhecido pela sua dificuldade "ninja" e pelos poucos que tinham a habilidade de chegar até o fim. Bom, isso morreu aqui pois o jogo estava bem mais acessível - mas também não quer dizer que tenha ficado fácil, apenas houve um equilibrio melhor nos desafios.

Outra coisa que talvez tenha irritado os jogadores foi que a versão americana teve sua dificuldade intensionalmente aumentada, tendo sido limitado o número de continues, os inimigos tomam mais dano para morrer e omitiram o novo sistema de password que permitia o jogador salvar o jogo e retornar ao começo da fase desejada na versão japonesa.

Fazendo uma ponte entre o primeiro e o segundo jogo, a história segue novamente os passos de Ryu Hayabusa, que foi culpado pela morte de Irene Lew e ele investiga as circunstanceas por trás da morte. Ele eventualmente descobre o plano do Agente Foster da CIA e seu comparsa Clancy para utilizar um Portal Interdimensional para criar uma raça de superhumanos mutantes e acabar com o planeta Terra.

Apesar de ter um roteiro mais previsível e fraco, o jogo trouxe uma jogabilidade mais afinada que permitia movimentos mais rápidos e com mais precisão do que nos jogos anteriores e também trouxe várias melhorias gráficas, embora o level design tenha ficado muito inferior aos antecessores. No geral, o jogo trouxe mudanças boas e ruins mas como ficou em um empate técnico entre os dois o jogo foi bem criticado e recebeu as menores notas da série.

Entre os movimentos novos, Ryu agora se locomove com mais mobilidade e rapidez pelas paredes e também pode se pendurar em objetos posicionados na horizontal pelo cenário. Novamente houveram menos cutscenes no jogo, sendo que dessa vez de 22 minutos (Ninja Gaiden) e 19 minutos (Ninja Gaiden II), dessa vez o jogo caiu para apenas 17 minutos de cutscenes.

Em 1993, a própria Atari portou o jogo para o seu portátil Atari Lynx e conseguiu mantér a ótima jogabilidade e os gráficos muito bem feitos para a plataforma, porém perdeu muito em som e vários jogadores reclamaram que não conseguiam ver alguns itens na tela devido ao tamanho da tela do portátil que era muito pequena.

Em 1995 esse jogo foi lançado junto com os dois primeiros Ninja Gaiden para Super Nintendo numa coletânea chamada "Ninja Gaiden Trilogy" - mais detalhes no próximo post. Em Fevereiro de 2008, foi a vez do Virtual Console do Nintendo Wii de receber a versão do NES para download. Nenhuma mudança ou correção foi feita nesse lançamento.

Algumas imagens e videos do jogo:

Nintendinho:







Atari Lynx:







E por hoje é só. Como vocês puderam ver, ocorreram várias mudanças no jogo porém nem todas foram para melhor e a média geral é menor que a dos dois primeiros jogos, porém o jogo tem um apelo para um público maior, graças a sua dificuldade menos desafiadora que os outros títulos da série.

Na semana que vem, falarei sobre o lançamento da série no Game Boy, comentarei em detalhes a versão do Super Nintendo - Ninja Gaiden Trilogy - e falarei diversas curiosidades sobre esses 4 jogos lançados + 1 pequena surpresa! Então vejo vocês na semana que vem!

Sigam-me os bons! \o\~~~~~~

3 comentários:

  1. Bom, eu não conheço muito bem a série Ninja Gaiden (ME JULGUEM), então nem posso comentar algo relativamente interessante. :P Curti bastante os gráficos da versão NES, bem coloridos e detalhados. Deu vontade de jogar! xD

    ResponderExcluir
  2. Com certeza Ninja Gaiden III fecha com chave de ouro uma das melhores trilogias de todos os tempos. É interessante lembrar que as introduções cinematográficas assim como as histórias entre as fases, eram uma evolução absurda para a época. E é claro a trilha sonora do jogo completa a cereja do bolo.

    Outstanding !

    []'s

    mp3game.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. @ProtoMorphos
    Faço minhas as suas palavras.

    Interessante como as mudanças foram feitas para experimentar até o limite que não se perdesse a essência da série. Um excelente encerramento!

    Belas imagens!

    ResponderExcluir